Fork me on GitHub

Operador Pipe

O operador pipe |> passa o resultado de uma expressão como o primeiro parâmetro de outra expressão.

Sumário

Introdução

Programação pode se tornar algo bem confuso. Tão confuso que o fato de chamadas em funções podem ficar tão incorporadas a outras chamadas de função, tornando-se muito difícil de seguir. Tome em consideração as seguintes funções aninhadas:

foo(bar(baz(new_function(other_function()))))

Aqui, nós estamos passando o valor other_function/1 para new_function/1, e new_function/1 para baz/1, baz/1 para bar/1, e finalmente o resultado de bar/1 para foo/1. Elixir possui um modo pragmático para esse caos sintático, permitindo-nos a utilização do operador pipe. O operador pipe é representado por |>, recebe o resultado de uma expressão e passa ele adiante. Vamos dar mais uma olhada no trecho de código acima reescrito com o operador pipe.

other_function() |> new_function() |> baz() |> bar() |> foo()

O pipe pega o resultado da esquerda e o passa para o lado direito.

Exemplos

Por este conjunto de exemplos, nós iremos usar o módulo String de Elixir.

iex> "Elixir rocks" |> String.split
["Elixir", "rocks"]
iex> "Elixir rocks" |> String.upcase |> String.split
["ELIXIR", "ROCKS"]
iex> "elixir" |> String.ends_with?("ixir")
true

Boas Práticas

Se a aridade de uma função é mais do que 1, certifique-se de usar parêntesis. Isso não importa muito para Elixir, porém é importante para outros programadores que podem interpretar mal o seu código. Se tomarmos o nosso terceiro exemplo, e retirar os suportes do String.ends_with?/2, nos encontramos com o seguinte aviso:

iex> "elixir" |> String.ends_with? "ixir"
warning: parentheses are required when piping into a function call. For example:

  foo 1 |> bar 2 |> baz 3

is ambiguous and should be written as

  foo(1) |> bar(2) |> baz(3)

true

Compartilhe essa página